Revista Cidades Sustentáveis e Atlas da Mata Atlântica são lançados na Frente Ambientalista

16.11.2015

 

 

 

A Frente Parlamentar Ambientalista reuniu-se nesta quarta-feira (11) para o lançamento da revista da ANAMMA – Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente, e do Atlas dos Municípios da Mata Atlântica, da Fundação SOS Mata Atlântica. O deputado Sarney Filho, coordenador da Frente, destacou a importância do trabalho das duas entidades parceiras.

 

“Tenho certeza de que a parceria com a ANAMMA, que se consolida com este café da manhã, dará muitos frutos. Vamos trabalhar aqui para poder capacitar nossos municípios para uma gestão sustentável, para que não seja necessário postergar a implantação de outras medidas importantes, como no caso do fim dos lixões”, disse o coordenador. Ele afirmou que a SOS Mata Atlântica, por sua vez, é a principal colaboradora da Frente, tendo sido determinante para definir a participação direta da sociedade civil em seus grupos de trabalho, medida inovadora no Parlamento.

 

Rogério Menezes, titular da Secretaria do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Campinas (SP) e presidente da ANAMMA, contou um pouco da história da entidade, fundada em 1988. “É um momento muito feliz para a ANAMMA”, disse, comemorando o lançamento da primeira edição da revista Cidades Sustentáveis.

 

“A revista, criada para mostrar boas práticas e experiências exitosas dos municípios associados, é um esforço da nova diretoria, eleita para o próximo biênio”, explicou o presidente. A publicação, que está sendo viabilizada através de parcerias privadas, é bilíngue, sairá trimestralmente e conta com tiragem de 150 mil exemplares.

 

O Censo Nacional dos Órgãos Gestores Municipais de Meio Ambiente, preparado pela associação, também foi divulgado por Rogério. A iniciativa contou com a adesão de 132 cidades que responderam o censo, com expressiva participação de pequenos municípios. A intenção foi conhecer as demandas da gestão ambiental dos municípios. Entre os participantes, 88,9% possuem órgão de meio ambiente em funcionamento. Foram colhidos dados sobre licenciamento, fiscalização, entraves e dificuldades.

 

A diretora executiva da SOS Mata Atlântica, Márcia Hirota, apresentou o Atlas dos Municípios da Mata Atlântica, com um balanço sobre a situação dos 3.429 municípios abrangidos pela lei que protege aquele bioma. O trabalho é uma parceria com o INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. O objetivo é que todos os cidadãos dos 17 estados que possuem Mata Atlântica tenham acesso às informações sobre desmatamento em seus municípios.

 

Márcia relatou que nove estados estão no nível do desmatamento zero. No entanto, três deles – Piauí, Bahia e Minas Gerais – estão particularmente ameaçados pelo desmate, notadamente nas proximidades de áreas de Cerrado. Segundo ela, está sendo divulgado hoje para a imprensa o ranking dos municípios que mais desmatam, assim como o daqueles com mais vegetação nativa.

 

“Esses dados são públicos. Qualquer pessoa pode se cadastrar e baixar os arquivos. É uma forma de mobilizar, incentivar o engajamento das pessoas para a nossa causa. Isso vai ajudar os municípios a planejarem seu desenvolvimento sem penalizar o meio ambiente”, explicou a diretora.

 

Estiveram presentes ao café da manhã da Frente Ambientalista que acolheu o duplo lançamento mais de 30 parlamentares. Entre eles, a senadora Vanessa Grazziotin e os deputados Átila Lira, presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS), Evair de Melo, Alessandro Molon e Nilto Tatto. Também participaram do evento inúmeros ambientalistas, além de diversos gestores municipais.

 

A CMADS, a Frente Ambientalista e a ANAMMA realizaram quarta e quinta-feira, dias 11 e 12, na Câmara dos Deputados, o seminário “Desafios para o fortalecimento dos órgãos gestores municipais de meio ambiente – apoio técnico e financiamento”, sobre gestão ambiental.

 

Fonte: Comunicação Lid-PV

 

Foto: Paula Laport / Lid-PV

 

Fonte - http://bancadaverde.org.br/

Tags:

Please reload

Em destaque

CORREDORES ECOLÓGICOS AGROFLORESTAIS DEVEM CONECTAR ÁREAS NATURAIS EM FOZ DO IGUAÇU E CÉU AZUL

November 26, 2019

1/10
Please reload

Notícias recentes
Please reload

Arquivo