Anamma Rondônia planeja atividades para 2016

30.05.2016

 

 

 A atual diretoria da Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente Estadual Rondônia (Anamma/RO) já organizou o seu plano de trabalho para o ano de 2016. O planejamento foi definido em reunião no dia 12 de maio, na cidade de Ji-Paraná.

Na abertura da reunião, Kátia Casula, Vice Presidente da Associação, falou aos presentes sobre os desafios a serem enfrentados no estado. “As Secretarias Municipais de Meio Ambiente foram criadas de forma independente, em muitos casos, por força do Ministério Público (MP), que entendeu sua necessidade para o controle ambiental local. Porém, não houve muita contribuição do próprio MP ou da Secretaria de Estado para a estruturação e formação, orientação e normatização das atividades. Assim, muitas secretarias de meio ambiente foram apenas criadas, mas não estão ativas”.

A atual diretoria da Anamma foi eleita durante o Primeiro Encontro Estadual da Anamma/RO. O evento ocorreu no final de março, na capital Porto Velho. Esse grupo estará a frente da Anamma/RO até janeiro de 2017.

O desenvolvimento e fortalecimento institucional da Anamma é um dos eixos de trabalho do grupo. “O papel da Anamma é muito importante para a articulação entre os órgãos ambientais municipais, os quais ainda são pouco numerosos pela falta de entendimento da sua contribuição com o desenvolvimento dos municípios. Com a Anamma, cria-se um fórum de trocas de ideias e experiências permanente”, afirma Kátia.

No planejamento, foram elencados os objetivos específicos para 2016: Legalizar a Anamma em Rondônia; Promover e fomentar capacitações; Filiar mais municípios; Angariar Fundos Financeiros; Aprimorar a comunicação interna; Definir uma agenda de lutas e Promover a troca de experiência entre as Secretarias de Meio Ambiente. A partir desses objetivos também foram delineados metas, tarefas e indicadores.

“Nesta reunião a diretoria estabeleceu seu planejamento para os próximos meses para que possamos alcançar outros municípios e alavancar as ações, principalmente pelo apoio dos municípios mais avançados nas atividades ambientais. Preocupamo-nos com a continuidade, pensando na próxima gestão que iniciará em janeiro de 2017, pois nosso intuito não é apenas o agora, mas a construção de um futuro, de um caminho para a sustentabilidade em nível local”, aponta Kátia.

 

 

Please reload

Em destaque

CORREDORES ECOLÓGICOS AGROFLORESTAIS DEVEM CONECTAR ÁREAS NATURAIS EM FOZ DO IGUAÇU E CÉU AZUL

November 26, 2019

1/10
Please reload

Notícias recentes
Please reload

Arquivo